quinta-feira, 3 de dezembro de 2009

DELÍCIA
















És chama que arde
Qual pássaro que voa por voar
Quando te quedas
Antes que o desejo chegue
Sentido latejante
Tecido de nuvens e mistério
Pintura de corpos e de versos
Porque teu aroma é presente
Senha que atiça a mente
A memória da pele
Em carinhos de seda
Onde o ímpeto da razão
Viaja em pelos eriçados
A vida inteira
Como dedicatória

Miguel Eduardo Gonçalves

2 comentários:

marilandia disse...

DELÍCIA EM ALQUIMIA

És chama que arde// Em mergulhos prazerosos
Qual pássaro que voa por voar//Buscando ordem pra se equilibrar
Quando te quedas//Em torno de algo
Antes que o desejo chegue// Infinito como o sol
Sentido latejante//Acasalando o pecado
Tecido de nuvens e mistério//Pressão de nossos anseios
Pintura de corpos e de versos//De tetos espelhados
Porque teu aroma é presente// Excita os sentidos
Senha que atiça a mente//No ritual da cama
A memória da pele// Guardada na minh’alma
Em carinhos de seda// Mimos de cetim
Onde o ímpeto da razão// Dentre insônia e suspiros
Viaja em pelos eriçados// Deixando rastros doloridos
A vida inteira//Ironia da eternidade
Como dedicatória//A amantes alucinados

Karinna* disse...

*Enxergar a paixão amorosa através dos teus olhos-poema é um privilégio.
Sinto assim também, o afã da busca quase dolorida do cerne medular do impacto da sensação.Não chega a ser tentativa de definir, mas ensaios de ardor da DELÍCIA que é a entrega do ser.
Belíssimo!
Beijos azuis do meu terraço
K*