domingo, 13 de outubro de 2013

O tempo... o tempo...



O tempo... o tempo...
Basta-se em viver
Ativo, na dispersão de si
Como as ondas do mar
Que mesmo acabando na praia
Vagamente se repetem...
Nessa vida de flor
Acorda em nova hora
Recriando-se
Perpetua a paisagem
E embora o silêncio
Faz-se perceptível
Inesperadamente!
(Miguel Eduardo Gonçalves)

Um comentário:

Nadir disse...

Miguel Eduardo!

Foi um prazer estar em seu Blogger, e poder desfrutar do encanto contido em suas poesias!
Adorei seu espaço!
Meu destaque, hoje:

"O tempo... o tempo"
E nada como ele, o tempo, para aprimorar, quem já nasceu agraciado...
Parabéns!
Nadir
http://www.nadirdonofrio.com