domingo, 9 de janeiro de 2011

VONTADES

























VONTADES

Sem portas
Nem lençóis
Algo de maleável
E secreto

Nas ocupações mais inocentes
Encerra-se o ópio
Sem o que não posso passar

Ímpetos de rubro
São bailes de mim
Beijos em escala
Terraço a beira-mar

SOU VENDAVAL


Miguel Eduardo-



Um comentário:

marilandia disse...

"...VENDAVAL" farfalhando a magia dos versos teus.
REQUINTE POÉTICO!!!

Beijos.
Marilândia