quarta-feira, 12 de agosto de 2009

Carimbo do Teu Cheiro



Ensina-me
A mim, à minha língua
O caminho da nascente
Ao monte arrepiado
Tenho sede
Vulva indecisa
Ardo, por dentro
O sentimento crepita
E por fora a pele clama
O que as mãos reclamam
Incêndio do delírio

Tua Marca Registrada

Miguel Eduardo Gonçalves

3 comentários:

marilandia disse...

Carimbo do teu cheiro// Tatuagem Infinita


Ensina-me// Em versos febris
A mim, à minha língua// Ao meu padecer
O caminho da nascente// Licorosa
Ao monte arrepiado// Calvário de desejos
Tenho sede// Que não se aplaca
Vulva indecisa// Insaciável
Ardo, por dentro// Em ritual nefasto
O sentimento crepita// Cruéis chamas
E por fora a pele clama// Ardente fantasia
O que as mãos reclamam// Líricos gemidos
Incêndio do delírio// No oceano do prazer

Tua Marca Registrada// Tatuada no Meu Ser

Retalhos de Amor disse...

Fragrância escarlate
Crescentes sóis!!!

Show, Amigo Miguel!!!

Beijos mais...
No teu coração!!!

Tânia Regina Voigt disse...

Miguel, eu concordo em gênero, número e grau
com o Renato... Teu poema é SHOW! Um show que
me faz aplaudir ¨delirante¨ o mestre da poesia!
Te adoro, mestre! Beijos.