sábado, 1 de agosto de 2009

ROSICLER

















Semeando a palestra de semblantes afetados
Sentia conselheiro, que inteiro o seria separar-se
Como reboco da parede, da florzinha os sentidos
Que vira tão sensibilizados
E na grande aparência do bom-senso
De certo modo desprezava a resposta
Que lhe desse o sentido da questão...
Na pauta, a lua onde serpeiam cobras
Serve de lâmpada ao festim
E serenam lindas num jardim
Em meneios vagarosos, sibilinas
No descanso das paixões
A polissemia
Deliciosa

Miguel Eduardo Gonçalves

Um comentário:

marilandia disse...

ROSICLER// CREPÚSCULO


Semeando a palestra de semblantes afetados//Em coro de vozes da vida
Sentia conselheiro, que inteiro o seria separar-se// A todo instante uma ideia soprando
Como reboco da parede, da florzinha os sentidos//Alicerçados nos vãos das portas
Que vira tão sensibilizados// Arrematando sentimentos
E na grande aparência do bom-senso// Bebendo palavras ácidas
De certo modo desprezava a resposta// Taciturno, conciso
Que lhe desse o sentido da questão...// Pensamentos em turbilhão
Na pauta, a lua onde serpeiam cobras//Céu rubro lá no alto
Serve de lâmpada ao festim// Refletindo poesia reluzente
E serenam lindas num jardim//A recordar horas de doçuras
Em meneios vagarosos, sibilinas// Borboletas de luz nas madrugadas
No descanso das paixões// Tudo palpita
A polissemia// Exegese amena
Deliciosa// Enlevada, perfumada

Beijo com carinho.
Marilândia