segunda-feira, 1 de junho de 2009

POESIA
















volto para ser o tema
parece que rastreio pegadas
mas não é isso não

venho para desmistificar
porque raciocino assim
unicamente poeta

preservo o adeus
detesto
o abandono do adeus

a vida planta-se
pérola
ofertada

dela
viramos memória
plena, ou inacabada

julga-me, pois
misturada a uma estrela
ou ao sangue de cicuta

miguel eduardo gonçalves

Um comentário:

marilandia disse...

POESIA//MAGIA

volto para ser o tema// tão sonhado
parece que rastreio pegadas// prazerosas
mas não é isso não// você passa despercebida

venho para desmistificar// o estigma tatuado
porque raciocino assim// nessa mente em batucada
unicamente poeta// posso amar afoito,embriagado

preservo o adeus// confesso
detesto// contradigo,
o abandono do adeus// busco um mundo sem atrito

a vida planta-se// enraiza-se
pérola// poética
ofertada// incrustrada

dela// somente dela
viramos memória// estória infinda

julga-me, pois// serena, confiante
misturada a uma estrela// rutilante
ou ao sangue de cicuta// venenoso, mortífero