terça-feira, 26 de maio de 2009

ARBITRO



















Cintilante
Como um rio de ouro
Teu olhar
Quimera intensa
Sol dos céus
Desfila místico
Em fúlgida dormência
Onde os vagos da esperança
Além da eternidade deste mundo
Vão em adornos mais profundos
E tão harmônicos contornos
Que explodem paixão furiosa
À medida que laivos do pudor
Recrudescem ao prazer
Quando é já tudo o vício que nos salva
Porque sou todo amanhecer

Miguel Eduardo Gonçalves

Um comentário:

marilandia disse...

Cintilante// Fluorescente
Como um rio de ouro// Caudaloso, borbulhante
Teu olhar// Malicioso, inquietante
Quimera intensa// Prenúncio inenarrável
Sol dos céus// Lua dos mares
Desfila místico// Afoito,paradisíaco
Em fúlgida dormência// Luzente entorpecer
Onde os vagos da esperança//Lacunas em segredo
Além da eternidade deste mundo// Horizonte infinito
Vão em adornos mais profundos// Rajadas indômitas
E tão harmônicos contornos// Pulsantes, balouçantes
Que explodem paixão furiosa// Embriagada de insensatez
À medida que laivos do pudor// Nódoas esfumaçadas
Recrudescem ao prazer// Serenas,saciadas
Quando é já tudo o vício que nos salva// Agasalha nossos seres
Porque sou todo amanhecer// Totalmente Descomposturado

Mais uma obra de pura arte .
Beijo carinhoso.
Marilândia