quinta-feira, 28 de maio de 2009

ESCADA DE TROVAS - de carona com Filemon




SUBINDO:

“Algo bom temos de ver”
No encanto de uma só flor
E só então eleger
Quem será um grande amor.

“Às vezes com paciência”
Vê-se uma grande ternura
Melhor que fêmea na ausência
Perdida só em doçura.

“Não condene sem saber”
Qual a origem de um alguém
Empenhe-se em conceber
Que mulher não é só desdém.

“Não julgue pela aparência”
Mas salve o sexto sentido
A parecer coerência
Sentir-se sendo induzido.

(Miguel Eduardo Gonçalves)



NÃO JULGUE PELA APARÊNCIA,
NÃO CONDENE SEM SABER;
ÀS VEZES COM PACIÊNCIA
ALGO BOM TEMOS DE VER.

(Trova mãe de Filemon Francisco Martins)

Um comentário:

marilandia disse...

Que deliciosa carona! Versos que sobem e descem na escadaria da existência, fazendo ali uma aconchegante e sublime moradia.
Beijo carinhoso e parabéns aos dois grandes poetas.
Marilândia